Liberdade FM - 87,9

(45) 98814-0714

Olímpiadas

Abner Teixeira derrota jordaniano e garante ao menos o bronze no boxe na Olimpíada de Tóquio

O adversário do brasileiro na luta pela vaga na final olímpica, terça-feira, será o cubano Julio La Cruz

Abner Teixeira derrota jordaniano e garante ao menos o bronze no boxe na Olimpíada de Tóquio
Ueslei Marcelino/Reuters
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O pugilista brasileiro Abner Teixeira derrotou o jordaniano Hussein Iashaish, nesta sexta-feira, nas quartas de final do boxe, na categoria peso pesado, em decisão dividida dos juízes (4 a 1) e garantiu ao menos a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na modalidade, não há disputa de terceiro lugar, assim, mesmo com uma eventual derrota nas semifinais, Abner terá direito a uma medalha.

O adversário do brasileiro na luta pela vaga na final olímpica, terça-feira, será o cubano Julio La Cruz, que eliminou o espanhol Enmanuel Reyes. Esta é a sexta medalha do boxe brasileiro em olimpíadas. Servílio de Oliveira foi bronze no México-1968, depois Esquiva Falcão, Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo subiram no pódio em Londres-2012. Robson Conceição foi campeão na Rio-2016.

O brasileiro começou mal a luta e viu o jordaniano não tomar conhecimento de sua envergadura. No segundo round, o brasileiro melhorou e conseguiu uma vitória parcial no entendimento da arbitragem. No último e decisivo assalto, era visível o cansaço de Hussein Iashaish, que já não conseguia manter o ritmo inicial e sofria uma sequência de golpes.

A luta foi espetacular. Violenta ao extremo, com os dois boxeadores chegando ao final dos três rounds con sangramentos. Iashaish começou com tudo e pressionou Abner por mais de um minuto, com todos os tipos de golpes. Surpreendido, o brasileiro procurou acertar uppers e ganchos.

No segundo assalto, Abner encontrou a distancia e, canhoto, acertou Bios diretos de esquerda que diminuíram o ímpeto do jordaniano, que apresentou cansaço. O último round foi sensacional com a troca de golpes impressionante, mas com Abner mais preciso.

"Foi uma guerra. Eu não esperava este ritmo desde o começo. Esperava que ele viesse morno e aumentasse o ritmo, mas eu consegui aplicar bons cruzados e ganchos. Ele não esperava que eu fosse resistir ao ritmo, cansou e aí eu pude ser o agressor. Vou estudar bem meu rival na semifinal e vem mais medalha para o Brasil."

FONTE/CRÉDITOS: Estadão

Veja também

Envie sua mensagem e participe da nossa programação!