Plantio de soja no Paraná atinge apenas 16% da área e safrinha do milho fica em risco

O plantio da safra 2020/2021 da soja no Paraná atingiu apenas 16% da área total devido a forte estiagem em diversas regiões do estado. Esse atraso irá impactar na diminuição da janela de plantio da safrinha de milho neste ciclo.

Os número foram divulgados nesta sexta-feira (16) pelo Deral (Departamento de Economia Rural), vinculado a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, no semanal Boletim de Conjuntura Agropecuária.

Como comparação, em 2019 foram semeados mais do que o dobro dos 900 mil hectares atuais (1,83 milhão de hectares) e a média dos três últimos anos apresenta 2,38 milhões de hectares semeados no mesmo período.

Os maiores atrasos estão sendo notados na Região Oeste do Paraná. Toledo registra apenas 10 mil hectares semeados neste ciclo, enquanto a médias últimas três safras foi de 375 mil hectares. Já em Cascavel a relação é de 186 mil hectares neste ano contra 468 mil hectares nos últimos três anos.

Os técnicos do Deral apontaram que somente com regularidade das chuvas será possível compensar o tempo perdido no plantio da soja, sendo que um déficit maior pode causas prejuízos irreversíveis nessa cultura e também na safrinha do milho.

Já o milho primeira safra demonstrou um respiro nos últimos dias, atingindo 78% dos 360 mil hectares destinados ao plantio da cultura neste ciclo.

O preço pago para essas duas culturas segue em alta. Os produtores de soja tem recebido em média R$ 140,00 pela saca de 60 kg, valor 15% superior a cotação de setembro.

No milho, os valores têm batido recordes semana por semana. A saca de 60 quilos está sendo negociada por R$ 55,30, 3,07% a mais do que os preços da semana passada.

Confira a atualização sobre a safra de outras culturas no Paraná neste link

Paraná Portal